quinta-feira, 26 de abril de 2012

O NOVO CONTEXTO E O INDIVÍDUO: A AQUISIÇÃO DE NOVOS CONHECIMENTOS COMO FORMAS DE SOBREVIVÊNCIA.

O NOVO CONTEXTO E O INDIVÍDUO: A AQUISIÇÃO DE NOVOS CONHECIMENTOS COMO FORMAS DE SOBREVIVÊNCIA. (Cap. 6, p.63 a 72)
“Aprender em organizações significa testar continuamente nossa experiência e transformar esta experiência em conhecimento acessível a toda organização e pertinente a seu propósito central”. Peter Senge
O indivíduo deve ser consciente de que a busca de novos conhecimentos pode ser a resposta ao processo de sobrevivência no mundo organizacional. O conhecimento do homem pode se tornar obsoleto (antiquado) mesmo antes de ele ter iniciado a carreira para a qual foi treinado. Isso irá exigir uma constante atualização para aquisição de conhecimentos cada vez mais flexibilidade e capacidade de adaptação diante das novas situações.
A aquisição de novos conhecimentos parece ser a única forma para a solução dos problemas que necessariamente temos que enfrentar.  O surgimento de uma teoria capaz de conceptualizar (aprender) os fenômenos de uma forma mais global - a teoria dos sistemas – tem permitido a inter-relação e a integração assuntos que são, na maioria das vezes diferente.
Cada vez mais ficou a produtividade do indivíduo dependente de sua capacidade de incorporar novas teorias e conceitos na escola. (educação permanente). Novos termos surgiram para caracterizar a época em que vivemos e a nova postura exigida de parte das organizações e dos indivíduos: sociedade do conhecimento, gestão do conhecimento, trabalhador do conhecimento, e outros equivalentes.

NOSCE TE IPSUM (Conhece-te a ti mesmo) - Compreendendo o Indivíduo e seu Comportamento:
Segundo a teoria contemporânea, a pessoa depois da primeira semana de vida é parcialmente um produto da aprendizagem.
Estudiosos do assunto propuseram uma maneira bastante simples de representar o comportamento humano através da fórmula: C = f (P,M).
C (comportamento), f(função), P (pessoa), M (meio). Esta fórmula significa: O Comportamento é função ou resultado da interação entre pessoa e o meio. (Thompson e Van Houten). Se quisermos entender ou explicar o comportamento humano a qualquer instante, precisamos tomar em consideração o homem (tanto geneticamente formado como educado) e o seu meio.
Thompson e Van Houten apontam três estratégias de conhecimento do homem com as seguintes características:
- O homem como ser transacional, isto é, que não só recebe inputs (relação entre  entradas) do ambiente e reage aos mesmos, mas tanbém adota uma postura pró-ativa, antecipando-se e muitas vezes até provocando as mudanças que ocorrem neste meio ambiente.
- O homem com um comportamento dirigido para um objetivo, o que significa dizer que o  homem é capaz de ter objetivos ou aspirações e de lançar grandes doses de esforço no sentido de alcança-los.
- O terceiro aspecto da estratégia, segundo os autores, está voltado para o conteúdo mental do homem e a forma como tal conteúdo é adquirido. Aqui veremos a importância das percepções do indivíduo e como elas agem como um sistema de  filtros através do qual ele concebe a realidade que o cerca.

Após leitura uma imagem que nos permite compreender a complexidade do comportamento é a de um iceberg. Comportamento        PERCEPÇÕES     CONCEPÇÕES

Se quisermos obter uma modificação significativa e duradoura no comportamento, não nos adianta atuar somente sobre o comportamento, não nos adianta atuar sobre o comportamento manifesto (Comportamento manifesto é aquele visível aos olhos, pode-se dizer comportamentos observáveis. Exemplos: a maneira como você se veste, caminha, come, a cor do seu cabelo, roupas que usa), mas sim sobre seus condicionantes. (Aquilo que condiciona que impõe condição ou define algo como condição. Exemplo: O Ensino Superior é condicionante para participar do plano de carreira da empresa que trabalha).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário